segunda-feira, 3 de janeiro de 2011

Treinamento Funcional PROGRAMA COMPLETO Parte II

Aquecimento Dinâmico x Alongamento Estático


Em meados dos anos 80, pesquisas demonstraram que alongamentos estáticos antes das sessões de treinamento diminuíam a produção de força e conseqüentemente prejudicavam as sessões de treinamento. Outras pesquisas também demonstraram que o alongamento estático poderia ser uma das causas de lesão aguda ocorridas no treino. Fato este que não deixa de ser verdade, pois sabemos que o AE modifica o tecido, aumentando a distancia entra as linhas Zs e de outras estruturas prejudicando uma boa contração muscular.

A partir deste momento aconteceu um enorme desinteresse por parte dos treinadores pelo alongamento estático antes, durante e pos treino.

Para suprir esta lacuna surgiu então o Alongamento Dinâmico, com a prerrogativa de que ao alongarmos desta forma o músculo alonga e contrai em movimento melhorando o seu aquecimento especifico e lubrificando as articulações de uma forma mais funcional. A partir deste momento o AD ganha espaço nas salas de treinamento,  principalmente entre atletas. Afinal, nada mais coerente do que preparar o corpo com movimento para treinar movimentos.

O Outro Lado da Moeda:

Muitos artigos demonstram a importância do treino de flexibilidade na prevenção e tratamento de lesões crônicas.

A falta de flexibilidade é fator causador de diversas lesões que são acometidas de forma gradual e que necessitam de mudanças teciduais para recuperar-se.

A literatura mostra que o alongamento dinâmico não consegue causar mudanças teciduais significativas.

Algo que ajuda na diminuição da probabilidade no aparecimento de lesões jamais pode ser negligenciado em um bom programa de treinamento, pois se você quer que seu aluno ou atleta tenha resultados faça o treinar ao invés  de ir para uma sala de fisioterapia.

Afinal Estático ou Dinâmico?

Na verdade os Dois.

Baseado na técnica de grandes treinadores americanos e nas mais recentes pesquisas relacionadas a treinamento aqui na crossfit usamos os dois métodos em nossos programas.

Sabemos que na realidade o alongamento  estático é uma forma deficiente de aquecermos o corpo para os exercícios mas que estes são importantes na prevenção de lesões crônicas.

Já o alongamento dinâmico prepara melhor o corpo para os exercícios e ajuda na prevenção de lesões agudas.

Qualquer decréscimo de força causada pelo AE é minimizado pelo AD seqüente. Mike Boyle

Então por que não aproveitar o que há de melhor nas duas praticas sem deixar de colher os frutos que poderíamos ter se deixássemos um dos dois métodos de lado?

Um comentário:

  1. O alongamento por si só não previne lesões, mas o aumento da amplitude de movimento promovida por este, sim! Desde que a maior amplitude venha acompanhada de força e estabilidade, teremos um fator protetor potente. Especificamente sobre o alongamento antes de algumas práticas desportivas, acredito que alguns encurtamentos que levam a um padrão inadequado de movimento, se neutralizados antes de determinadas praticas desportivas, podem, a longo prazo, como falou bem o professor André, prevenir lesões por esforço repetido, como por exemplo: síndrome da bandeleta íliotibial - muito comum em corredores de longa distância que tenham encurtamento severo dos abdutores dos quadris.

    ResponderExcluir