domingo, 4 de março de 2012

Qualidade de Movimento, Estabilização e Mobilidade ( PARTE I)



Qualidade de Movimento


Resolvi abordar esse tema devido a ansiedade e o desejo de alguns treinadores e alunos de logo se chegar ao topo (seja ele da performance ou simplesmente estético)  o que muitas vezes faz com que as fases no treinamento sejam atropeladas trazendo sérios prejuízos ao andamento do mesmo. Gray Cook, um grande fisioterapia que revolucionou a analise de movimento dos grandes centros esportivos tem uma máxima que diz: “Primeiro movimente-se BEM, depois movimente-se com frequencia”. Essa deve ser a base de qualquer treinamento seja ele voltado para algum objetivo de performance quanto estético pois uma maior saúde articular irá prolongar a vida atlética e ativa do nosso aluno e consequentemente os resultados virão de forma mais consistente.


Que o nosso corpo é muito inteligente isso ninguém duvida porém essa inteligência em alguns casos pode trazer alguns riscos a saúde a médio ou longo prazo. Todos nós possuímos músculos primários e músculos auxiliares para cada padrão de movimento. Quando o músculo responsável pelo movimento não esta sendo acionado por qualquer motivo que seja (lesão, falta de ativação e etc.) os músculos auxiliares entram em ação para realizar tal movimento. 



Músculos auxiliares como o próprio nome ja diz, estão ali para auxiliar o movimento principal gerando uma maior estabilidade e controle ao movimento. Para estes deixarem de ser coadjuvantes e se tornarem protagonistas existe um preço e nesse caso o preço da fama pode sair bem caro: meses de fisioterapia e sedentarismo. Isso acontece pois o tipo de fibra, enervação e tamanho dos músculos auxiliares são bem diferentes dos m. primários exigindo destes um esforço bem maior para realizar o mesmo movimento. Na maioria das vezes esse maior esforço gera uma perda na qualidade de movimento e esta é muito importante para a proteção das articulações. De acordo com Vladimir Janda proteção articular depende em grande parte do funcionamento eficiente do sistema músculo esquelético, isso quer dizer que a partir do momento que algo interfere essa eficiência de movimento as articulações começam a correr sérios riscos. 


Uma excelente ferramenta para analise dessa qualidade de movimento eficiente chama-se FMS (Fucntional Movement Systems). É um método de analise qualitativa do movimento composto por 7 testes onde neste o avaliado recebe uma pontuação de acordo com seu desempenho. Compensações e assimetrias devem ser diagnosticas e analisadas o mais rápido possível e após isto, devemos criar um plano de correção com o intuito de melhorar o padrão. Nada melhor do que o inicio do treinamento para focar nesse aspecto, será neste período onde você irá construir uma boa base na pirâmide para que no futuro o pico da mesma seja o mais alto possível e sem problemas estruturais....








Nenhum comentário:

Postar um comentário