quinta-feira, 23 de fevereiro de 2012

Pé.. Pé.. meu querido Pé







Atualmente tenho focado meus estudos em um assunto muito complexo mas que muita gente não se interessa..  o PÉ!
Estou treinando vários atletas atualmente que têm o pé como peça fundamental para seu esporte tais como corredores, triatletas, surfistas e etc. Isso me fez observar e criar um interesse ainda maior por esta parte do corpo que por muitas vezes é deixado de lado.
Durante qualquer curso de avaliação física sempre escutamos que devemos olhar nossos alunos da cabeça aos pés, mas será que isso esta acontecendo realmente? Na CrossGym indicamos que todos os atletas passem por uma minuciosa avaliação com todos os testes convencionais de uma avaliação física, adicionados a estes os testes do FMS (Functional Movement System) e uma avaliação postural completa (com foto).  Os resultados têm nos mostrado uma terrível mudança na distribuição de carga como também na produção de força nos pés de muitos de nossos avaliados, sejam eles atletas ou não. Pés chatos ou pronados estão se tornando cada vez mais comuns e com eles também lesões como canelites, fascites plantares e etc. Foi ai onde decidi analisar ate onde isso é coincidência ou realmente tem alguma ligação importante. Para entendermos um pouco mais sobre isso precisamos conhecer um pouco mais sobre o pé.

O Pé
Mais de 1/4 de todos ossos do nosso corpo estão nos pés. Cada pé é constituído com 26 ossos, 33 articulações, 107 ligamentos e 19 músculos. Uma média de 1 a 1,5 vezes o peso corporal é a força de reação da terra que atravessa verticalmente o nosso corpo através de cada passo em uma simples caminhada. Depois disso não fica difícil identificar que os pés desempenham um papel crítico na absorção e dissipação de forças.
Enquanto ritmicamente transferimos a força do calcanhar para o hálux (dedão do pé) para finalizar a fase de apoio, a musculatura extrínseca e intrínseca do pé e tornozelo deve contrair de forma coordenada para estabilizar nossa base de apoio como também para impulsionar o corpo para frente.
Muitas das deformidades do pé são resultados direto da mecânica do pé em desequilíbrio entre a musculatura intrínseca e extrínseca. Se quisermos otimizar a função do nosso pé e melhorar os nossos padrões de movimento  devemos começar restaurando esse equilíbrio.

Treinando com tênis Minimalista ou Barefoot
Um dos assuntos mais quentes atualmente na indústria do fitness é o "treinamento com os pés descalços". Esta tendência recente tem sido popularizada por uma infinidade de livros, atletas profissionais e sites que promovem os benefícios do treinamento com os pés descalços porem devemos ainda ter muita cautela sobre o assunto. Neste artigo todas as vezes que eu falar em treinar com os pés descalços, não estou falando em correr descalço mas sim fazer o treinamento complementar com um tênis minimalista. Vou me reservar a falar neste post apenas do treinamento indoor (treinamento de força, equilíbrio, agilidade, coordenação e etc) que é o que fazemos na CrossGym.
Afinal, por que treinar descalço quando os tênis comuns parecem fornecer o suporte e absorção de impactos necessários para um bom desempenho?
Quando paramos para analisar a maioria dos tênis de corrida (que são normalmente os mesmos que nossos alunos utilizam para frequentar a academia) nos deparamos com uma infinidade de estabilizadores, amortecedores e corretores de pisada artificiais. Ao calçarmos esse tipo de tênis é como  “engessar” o pé fazendo com que o mesmo desligue boa parte dos estabilizadores naturais (músculos intrínsecos) como também músculos propulsores que tem uma importante função na marcha como também na corrida. Sempre que nos deparamos com esta situação sugerimos aos nossos alunos que ao comprar um novo tênis optem por um minimalista. A   industria do fitness lançou nos últimos dois anos um novo tipo de tênis que tem como  função dar mais liberdade ao pé estimulando a musculatura intrínseca e também os receptores que são responsáveis por informar ao nosso cerebro informações tais como pressão, equilíbrio e estiramento dando a sensação de estar descalço (por isso que chamamos de treinar descalço).  Ao mesmo tempo são incluídos no programa de treinamento alguns exercícios específicos que irão variar de caso a caso. Logo abaixo postei alguns vídeos que irão ajudar a visualizar melhor o que falei acima.

Beneficios de “Treinar descalço” (Tenis Minimalista)
1. Melhora a postura dos pés. Estudos têm demonstrado que  6 semanas de treinamento com os pés descalços melhoraram a altura do arco medial e a postura do retropé. Aliado a estes benefícios estão a diminuição do risco de lesões na lombar, joelhos e pés devido a melhora do suporte feito pela da musculatura do pé.
 2. Melhor equilíbrio e estabilidade. A pele na parte inferior do pé desempenha um papel importante no equilíbrio e posição vertical. Através do treinamento com os pés descalços, vamos melhorar a ativação do sistema de feedback plantar, que por sua vez, fornece uma percepção mais acurada da nossa estabilidade e das forças de reação do solo, reduzindo nosso risco de lesão.
 3. Melhora o desempenho. Treinar com os pés descalços nos permite ativar todos os músculos do pé e tornozelo, criando padrões de movimentos mais eficientes e um melhor desempenho atlético. A ativação da musculatura intrínseca permite a absorção de choque dinâmico e alinhamento adequado do pé.
Exemplos Tênis Minimalista Feminino


Exercícios Específicos


Fale com seu professor e lembre-se de começar devagar, respeitando os limites do seu próprio corpo. Bons Treinos!!



Um comentário:

  1. André, preciso urgentemente de ler mais artigos sobre treinamanetos funcionais para os pés. Gostaria de ver videos em portuges. Estes tenis existem no Brasil??? moemavieira@gmail.com

    ResponderExcluir